Quer emigrar para Portugal? Prepare-se com cuidado.

Duas coisas essenciais: ter casa com condições dignas para toda a família; ter rendimentos para viver com um mínimo de qualidade.

Antes de tudo: escolha a cidade, vila ou aldeia onde quer viver.

Pode escolher, inicialmente, uma residência temporária, para o que lhe sugerimos que celebre um contrato de arrendamento.

Não deixe de consultar um advogado, para isso. Os contratos de arrendamento são, obrigatoriamente, registados nos serviços da Autoridade Tributária e você incorrerá em crime de fraude fiscal se não exigir o recibo no formato legal.

Por tradição, o senhorio exige-lhe um fiador ou uma garantia bancária e o pagamento inicial de dois meses, porque a renda se vence no mês imediatamente anterior aquele a que ela diz respeito.

Se pretende mesmo viver em Portugal, a casa deverá ser adequada à dimensão da família.

Tem que verificar se o seu rendimento – seja ele importado ou seja produto do trabalho – é suficiente para respeitar a lei, que fixa montantes mínimos por pessoa.

Portugal, tal como todos os países da zona euro, tem taxas de juro negativas, pelo que é, de todo, desaconselhável que faça depósitos nos bancos portugueses, pois que nada receberá e ainda tem que pagar.

Essa realidade conduziu a que quem tem poupanças as aplique em imóveis, de forma a fugir ao confisco das mesmas pelo sistema bancário.

As casas e os apartamentos valorizam-se muito nas principais cidades, mas ainda encontra casas e apartamentos por valores razoáveis em cidades mais pequenas. Tome cuidado porque lhe pedirão mais do que o preço justo por ser estrangeiro.

Calcule quanto vai gastar

  • Em transportes
  • Em escolas
  • Em energia
  • Em água

… e faça o seu orçamento, demonstrando a si próprio(a) que tem condições para viver em Portugal.

Contacte-nos

Compartilhar